Educação - quem não precisa?

Educação - quem não precisa?

Aqui não me refiro apenas às escolas, que têm participação essencial neste tema; mas me refiro às várias oportunidades de educar que existem em nosso planeta. Esta me parece uma pergunta básica se realmente queremos uma vida melhor para toda a humanidade.

Exemplos de cenários em que educar seja possível?

Que tal pensar a educação …

Em nossas prisões, nossos hospitais, nossas empresas, nossas organizações, nossos asilos, nossas creches, nossos sanatórios, nossos empreendimentos, nossas instituições políticas, nossas instituições públicas, nossas instituições de justiça, nossas instituições religiosas, nosso comércio, nas práticas esportivas e artísticas e, claro, no cerne de tudo, em nossas famílias.

Lembrou de mais opções?
Com certeza haverá mais cenários a incluir na lista.

Sim! É possível educar aonde quer que escolhamos. Todos esses constituem cenários em que se pode trabalhar rumo a ‘educar as pessoas a serem pessoas do bem, que acreditem numa vida melhor – coletiva e harmoniosamente, e que queiram ajudar a construir e a manter um planeta melhor e que ajudem uns aos outros a viverem uma vida melhor.

Com quais parâmetros?
Quais referências usar?
Que metodologia escolher?

Estas são questões que fazem parte do processo. Não devem estabelecer bloqueios ou motivos de impedimentos, mas devem fazer parte do escopo quando pensamos no futuro de nosso planeta. Cada um dos ‘cenários’ requer um jeito diferente de educar, mas quando se quiser fazê-lo, isso será sempre possível.

Há obstáculos e dificuldades em cada um desses cenários?
Bem, educar é também ‘aprender‘ com os desafios, mas acima de tudo é ‘querer‘ e também é ‘gostar‘ de proporcionar o melhor, para si e para os outros.

A seguir, há a sugestão de 4 perguntas apreciativas,
que podem nos ajudar no estabelecimento de referências de como almejar um mundo melhor.

Pergunta 1
Que mundo queremos para nós, para nossos filhos, para a humanidade?

Quando nos perguntamos: ‘que mundo queremos para nós, para nossos filhos, para a humanidade?’
Respostas bem intencionadas emergirão. Elas serão importantes! E poderão apontar as referências do caminho a ser percorrido. Aquelas respostas devem ser consideradas se nos propusermos a construir e a manter ‘este mundo melhor’, que é o desejado pela grande maioria que vive em nosso planeta.

Pergunta 2
‘Que tipo de atitude não mais queremos?’

Quando nos perguntamos: ‘que tipo de atitude não mais queremos?’
Respostas bem claras surgirão. Elas são vitais, pois constituem o acervo do que devemos substituir e transformar. Apontarão outras das referências do caminho a percorrer. Elas também devem ser respondidas se realmente queremos transformar este mundo em que vivemos em um ‘mundo melhor’.

Pergunta 3
‘Quais bons exemplos que existem no mundo hoje
queremos ver mais presentes no nosso projeto de mundo melhor?’

Quando nos perguntamos: ‘que tipo de bons exemplos existem no mundo hoje, os quais queremos ver mais presentes no nosso projeto de mundo melhor?’
Respostas inúmeras surgirão. Elas também serão muito importantes, e apontarão mais referências do caminho que temos que percorrer. Elas devem ser respondidas com calma e reflexão.

Pergunta 4
‘Quais obstáculos existem no mundo de hoje,
os quais teremos que superar para prosseguir no nosso projeto de mundo melhor?’

Quando nos perguntamos: ‘quais obstáculos existem no mundo hoje, os quais teremos que superar para prosseguir no nosso projeto de mundo melhor?’
Respostas variadas virão e devemos estar atentos a elas, pois elas também serão muito importantes, e apontarão mais referências do caminho a percorrer. Elas devem ser encaradas com desapego e serenidade, mas com seriedade, pois dentre esses obstáculos residem ‘forças‘ que não têm nenhum interesse em um mundo melhor.

Essas quatro perguntas constituem um passo inicial – que pode nos mostrar referências fundamentais de onde nos encontramos e de onde queremos chegar e do que não queremos em nossa sociedade no futuro.

Por aí – com perguntas apreciativas e com respostas a serem levadas em consideração, podemos dar seguimento ao projeto de educar nos cenários os mais variados possíveis, com um foco comum: tornar o nosso planeta melhor; projeto ao qual já existem muitos engajados. Aqui segue apenas uma sugestão de quem acredita ser possível tornar nosso mundo melhor. 

Texto para reflexão: Herbert Santos Silva
site intuicao.com
imagem: banco de dados pixabay