Os Potenciais Latentes e as Curvas da Vida

Os Potenciais Latentes e as Curvas da Vida

Os Potenciais Latentes e as Curvas da Vida.

A utilização de nossos potenciais latentes e adormecidos é a chave da renovação do mundo. Para acessar a reserva de poder mental, que é muito maior que a nossa capacidade perceptível, é necessária a chave do saber, a qual só pode ser encontrada num laboratório ainda mais sub-utilizado, que é o coração.
Várias são as etapas que devem ser desempenhadas, para que a humanidade seja composta de “seres humanos integrais” não mais de seres humanos fragmentados por limitações, a maior parte, criadas e alimentadas por nós mesmos, através de hábitos, posturas e atitudes pouco saudáveis, sejam físicas ou mentais.
Educar os pensamentos é essencial no rumo da elevação da consciência e da formação de “pessoas de bem” que vivam para o “bem” e que possam viver bem.

Para educar os pensamentos, devemos conhecê-los, entendê-los e ter claro quais são os pensamentos-chave que devemos ter em momentos de fraqueza ou de crises. Para que tais pensamentos possam atuar como verdadeiros guias que nos “empurrem” para um novo conjunto de bons pensamentos e boas atitudes.
Para tal ser possível, deve-se abrir o coração ao amor verdadeiro e exercitar o uso da intuição, até isso tornar-se natural.
Agregar o amor nas ações e na visão direcionada a um mundo novo, ajudando na regeneração do nosso planeta em direção a novas formas mais elevadas de viver; focalizando o novo com lentes do saber, da espiritualidade e da ciência – de forma integrada; não focando nas separações ou diferenças. Este é o passo inicial e é, desde o início, uma escolha pessoal. Depois do primeiro passo, necessário obviamente, pode haver o restante da jornada, e ninguém deve se iludir que será uma jornada conduzida pela inércia. Será sim uma jornada de dedicação e esforços. Isso não vem do nada, depende sim de cada um, por isso a importância de conhecer e educar os pensamentos. Por isso a importância de saber quais são os bons pensamentos a ter em momentos que estamos próximos de “derrapar” nas curvas das crises ou dificuldades pessoais. Pode-se imaginar esses “bons” pensamentos como estabilizadores que não nos deixam “derrapar” e sair do rumo que nos conduz ao bem, ao bom e ao belo da vida.

Desconsiderar a velha formatação do pensar é um exercício que possibilitará ao ser obter êxito nesta meta. Participar do estabelecimento de um novo estilo de vida, baseado na verdade vivida com amor; viver a essência da espiritualidade, e com esta convivendo com a ciência em harmonia é o que é esperado daqueles que querem um mundo melhor – para todos e para a natureza. Essa realidade está batendo às nossas portas; ajudá-la a acontecer de vez depende de abrirmos as portas a ela – isso depende de cada um; é uma escolha pessoal, a ser feita com base na consciência.

Extrato de livro de Herbert Santos Silva
Site Intuicao.com
Imagem: Pixabay