Ser: a nobreza no viver

Ser: a nobreza no viver

Ser: a nobreza no viver.

O mundo em que vivemos é o mundo de ações, a dimensão da ação.
Não é possível não agir no mundo tridimensional.
Neste mundo, o ato de “ser” corresponde a uma ação.
Na verdade, “ser” reflete a ação mais elevada que pode se manifestar.

O ato de “ser” responde ao propósito da vida. Apenas e completamente “ser”.
Talvez a maior armadilha do ser humano, criada e alimentada por ele próprio, seja a omissão.
Várias situações onde a omissão se faz presente podem ser mais prejudiciais que uma ação errada.

Vivemos num mundo onde, por mais que se possa tentar ignorar, tudo e todos estão interrelacionados.
A interrelação acontece, quer seja na ação visível ou no pensamento , sentimento e também na omissão.
Faz-se necessário abandonar a atitude “avestruz” e perceber, de fato perceber, que enfiar a cabeça no chão e lá deixá-la não significa que o mundo lá fora não existe.
Não basta fechar os olhos, não basta usar lentes que “modifiquem” intelectualmente o significado, nem leituras “racionais” que traduzam a vida de maneiras as mais variadas.

A vida “é”! Viver “ é ” a grande e mais magnífica manifestação que podemos praticar.
Não basta sair de casa cedo, antes de todos acordarem, chegar à noite após dedicar quatorze horas ao trabalho e dizer que está cansado, sentar-se e ver televisão, jornais, etc. e pensar que a vida é isso mesmo. Isto não elimina a omissão de “partes” fundamentais de um todo que é a vida!

A omissão no “resto” da vida não significa que detalhes e perspectivas, realidades e acontecimentos, dores e sofrimento, belezas e realizações não existam.
As partes são sagradas e sem elas não há o todo.
A felicidade suprema habita o coração, e estamos a cominho de um dia despertá-la em nossas vidas, mas com a ausência de partes essenciais, fica impedida de se manifestar.
A nobreza no viver somente é alcançada com um coração tranqüilo e misericordioso.
A maior misericórdia acontece quando há “vida” nas nossas ações, nunca quando há camuflagens.
A nobreza é direito de todos e ela está ao alcance de nosso coração, muito mais que da razão.

Sentir o que precisamos mudar para direcionarmos o caminho a tornarmos nossas ações dignas da vida e intuir a verdade do ato de ser são sementes que devem ser buscadas no coração.
A partir daí, a vida verdadeira terá espaço para se manifestar e, cada ação, quanto mais simples, mais grandiosa será, pois a dimensão da alma torna o simples imensurável e grandioso.

Autor: Herbert Santos Silva
Livro: A Mente Saudável – para Viver uma vida Melhor
site intuicao.com
Foto: disponibilizada pelo banco de imagens Pixabay