A ética do coração

A  ética do coração

A ética do coração.


A ética do coração nasce no mais íntimo da alma e é baseada nos valores primordiais do ser que são: o amor incondicional e a paz interior.
A ética do coração é a ética fundamentada no comprometimento, nascida da intenção cristalina e pura.

Não é uma ética baseada em valores externos e temporários. Ela tem origem na energia que gera a perfeição e que é acolhida no coração e se multiplica, permeando os sentimentos, visões, metas e atos com o fluido que a alimenta, que é o compromisso.
Um compromisso nascido dentro do coração, que é mantido pelo ser em tudo que nascer dele.
Um compromisso que alinha as atitudes, que as interliga e que dá asas ao que sai do próprio ser, para que voe em liberdade.

É o alimento que o nutre com força vital. É o compromisso com a luz.
A ética do coração tem uma só diretriz – a, de no momento da escolha, no momento da decisão, no momento da ação, no momento da expressão, focar sua energia na direção da solução, do que é positivo, do que é saudável e não na direção do problema, do negativo, daquilo que o debilita.

A ética do coração é a ética da consciência, a ética que nos ensina a crescer sempre, que nos mostra que a dualidade existe e que entre a luz que ilumina e o obscuro que confunde está nosso poder de escolha, o nosso livre arbítrio.
A ciência do coração, quando trazida à luz da razão, se traduz em consciência ilimitada e é esse o desafio dos novos tempos.

O desafio que reside em acreditar que é possível ir além dos limites. Limites estes que são barreiras impostas pela própria humanidade e não por nossa natureza original.
A ética do coração nos ensina a desafiar esses limites, a focarmos nossa energia, não na direção de doenças, medos ou julgamentos, mas na direção da luz (que é a vida), do amor, da compreensão e da cooperação mútua.

A luz é a referência do coração, assim como o seu nutriente e também sua companheira.
A luz que brilha aos olhos do coração não é uma luz de uma só tonalidade. Ela se manifesta em diversas cores, é um arco-íris com todas as cores se manifestando em seus variados tons.
É o arco-íris do coração que, se manifestando com luminosidade, faz a ética ganhar vida e ter força, uma força vital, baseada não em leis ou códigos de conduta, mas na luz interior.
O arco-íris, quando brilha internamente, ilumina o que está fora também, fazendo os olhos físicos verem com os olhos do coração.

Não importa a procedência ou a cultura, os olhos assim iluminados vêem o que é genuíno e nos conectam com o que tem energia vital, podendo ser do reino mineral, vegetal, animal, mental, emocional ou espiritual. Não importa: o que é genuíno tem força vital e terá ressonância no sensor do coração.

Em momentos de caos, de conflitos, de desencantos, de aparente escuridão, a semente da ética vital é a chama que dá luz.
Não serão leis ou diretrizes vindas de fora para dentro que darão força a cada ser, mas, sim, permitir que essa chama se acenda e se mantenha acesa dentro de si.
Isso possibilitará à humanidade ter brilho novamente.

Cada ser com seu brilho próprio, naturalmente despertado, se sintonizará com outros seres e suas energias, independentemente de suas crenças, filosofias e religiões.
A sintonia com a vida é um direito de cada ser e tomar a decisão focalizando a visão, atitudes e energia, buscando essa sintonia é o que é requerido nesse momento da história.

Autor: Herbert Santos
Livro: Intuição.com – Reflexões para Viver uma Vida Melhor
site intuicao.com